A influência das Medidas de Paletes no sucesso de uma venda

O Brasil é conhecido por ser uma das nações que tem um alto número de supermercados. Ela é colocada como uma das regiões que detém maior computo nesse segmento no mundo. Várias empresas fazem parte desse gigante nicho. Redes multinacionais como o Carrefour e Wal-Mart conseguem ter um alto faturamento em terras tupiniquins. Outras marcas como Pão de Açúcar, extra e sonda mantem um alto processo de crescimento.

Na maioria das gondolas, o consumidor encontra um variado leque de produtos, passando por todos os segmentos da vida humana, que contempla áreas domesticas e demais ramificações. Contudo, alguns utensílios necessitam de um cuidado maior desde a sua estocagem até o momento em que ele for colocado nas prateleiras a venda.

Vários mercados chegam a perder muito dinheiro por conta de ruídos no zelo dos produtos. Muitas das falhas são oriundas de erros humanos e falta de estratégia. Boa parte das mercadorias são guardadas de forma inadequada. O maior exemplo dessa afirmação é direcionado as medidas de paletes.

Muitos querem abrir seu “mercadinho”, mas poucos pensam na sua qualidade.

qualidade-dos-mercadinhos-em-solo-brasileiro

Existem, no Brasil, mais de 10.000 supermercados, passando desde os “grandes”, até os famosos mercadinhos. A alta rotatividade nesses lugares é intensa. Boa parte da população chega a ir duas vezes por semana, visando comprar não somente produtos domésticos, mas chegando a realizar outras atividades, como elaborar uma pesquisa de preços e verificar a qualidade do recinto focando-se nas mercadorias.

Algumas pesquisas constatam que algumas redes de supermercados chegam a realizar várias ações ilícitas com os clientes, que foca nos valores e zelo dos produtos. Muitos deles chegam a ser colocados nas gondolas com data de validade passada, amassados, malcheirosos.

Boa parte da população, quando observa tamanhos hiatos na organização interna do mercado, deixam de frequentar o recinto e começam a fazer a famosa propaganda boca a boca com outros clientes, que acaba sendo disseminada e afetando diretamente o seu lucro.

Detalhes mínimos fazem um recinto virar grande e bem reconhecido.

reunioes-constroem-novas-perspectivas

Observando essa onda crescente, várias redes de supermercados fazem, semanalmente, reuniões internas e com fornecedores, buscando viabilizar uma saída para essa queda na qualidade e mal aceitação do público com a loja.

Um dos resultados que saem desses congressos é o aumento contínuo na fiscalização do armazenamento dos produtos. Pontos importantes, como as medidas de paletes, são checados fielmente, pois se ela não for adequada com o produto que será estocado e ao espaço que a mesma for destinada, dificilmente o supermercado terá algum sucesso nas vendas, podendo chegar a falir.

Crescer, todo mundo quer, mas como fazer para tal, quase ninguém pensa!

Portanto, o aumento da exigência do cliente, correlacionado com o avanço da concorrência, fazem com que várias redes de supermercados no Brasil façam melhorias consideráveis na qualidade de estocagem de seus produtos. Várias pessoas deixam de frequentar um recinto por conta desse ruído, podendo influenciar outros cidadãos a não ir para o lugar, fazendo com que o lucro caia e o insucesso cresça. O país é um grande propulsor no segmento, mas ninguém conseguirá triunfar nessa ramificação de qualquer jeito. É preciso zelo e capricho.

Uma boa organização é resultado de ótimas padronizações

Ao chegar em um restaurante, a primeira observação feita, pela maioria das pessoas é analisar como se determina o ambiente do local. Logo após, conferir o cardápio e as iguarias oferecidas pelo recinto gastronômico. Até ai tudo normal. Porém, uma pergunta fica no ar. Porque tantas averiguações?

Sua resposta é clara e bem analítica. A associação dessas duas características determina a padronização que o restaurante segue. Ela pode ser observada em outros campos, como na uniformização dos funcionários, formato de atendimento, apresentação das composições alimentícias, etc.

No olhar do cliente, estandardizar um segmento transmite limpeza, disciplina, sistematização e respeito. Muitas áreas colaborativas no Brasil vêm, a cada dia, empregando essa doutrina como forma de estratégia para impulsionar funcionários e gerar maior credibilidade externa.

Para o olhar do empresariado, o ruído comunicacional entre empresas atuantes numa determinada área se torna quase inexistente quando todas agem com uma política externa igualitária, por exemplo, no valor cobrado sobre o açúcar, ou qualquer outro utensílio.

Esferas até inexpressivas, ou pouco conhecidas, adotam também essa estratégia. Um exemplo são as empresas armazenadoras de mercadorias e produtoras de paletes. Nesses dois núcleos, existe uma regra que interage ambos para uma mesma convergência: O formato ideal de conservação e movimentação de paletes artigos no Brasil, chamado de palete pbr.

Uniformizar cadeias produtivas é diminuir erros e alavancar vitórias.

Em 1990, estudantes do instituto de pesquisas tecnológicas da universidade de São Paulo (IPT-USP), em parceria com o comitê permanente de paletização (CPP) desenvolveram uma norma simplificando as regras necessárias para a composição de um palete seguro, barato e eficiente.

Durante os anos antecessores ao lançamento dessa norma, muitas empresas na área dos hipermercados perdiam vários estoques de produtos por conta de paletes ruins. Muitos se quebravam, outros desgastavam-se rapidamente, não podendo ser reutilizados. Tinha até alguns que não demonstravam nenhum dos problemas acima, mas sua composição afetava na embalagem do produto e na qualidade em si do conteúdo inserido nele.

fabricacao-de-paletes-pbr-qualidade-uniformeObservando esses ruídos, a Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS) resolveu propor o desenvolvimento de uma normatização em torno das produções de paletes no país. De início, tal pedido gerou polemica e confrontos, mas foi por pouco tempo.

Atualmente, as empresas de logística, grandes responsáveis pelo zelo das mercadorias, e os próprios supermercados brasileiros são vistos como um dos melhores do mundo quando o assunto é armazenamento de produtos. Esse “titulo” é associado, diretamente, as empresas produtoras de paletes e a unificação de sua ideologia manufaturada. Porém, não é qualquer companhia que consegue esse triunfo.

Rigor na análise do produto final, característica diferenciadora da padronização de palete PBR.

Quando essa padronização foi criada, em 1990, junto com todos os artigos que a compõem, um foi destacado em especial. Qualquer empresa pode produzir paletes, mas seu produto só poderá ter o carimbo de certificação palete pbr se o mesmo seguir as normas vigentes no documento oficial, tendo o timbre da CPP (comitê permanente da paletização).

uniformizacao-dos-paletes-brasileirosPara conseguir esse carimbo de autorização, é necessário o produto passar por um processo exigente de auditoria, realizado pelo IPT-USP (Instituto de pesquisa e tecnologia da universidade de São Paulo). Muitas empresas não conseguiram angariar triunfos sobre essas verificações, tanto que apenas 40% das empresas de paletes produzem o artefato em formato pbr.

Conclusão do caso:

Portanto, um dos princípios básicos para declarar se determinado segmento industrial fomenta qualidade, credibilidade e disciplina na produção de suas mercadorias é observando a existência de padronização em sua totalidade. Algumas áreas demonstram alguns déficits ainda, mas já mostram que estruturaram uma forma normativa de concepção manufaturada, algo que várias esferas ainda nem começaram a estudar.