Pallets e meio ambiente, uma amizade perfeita

uso-consciente-dos-pallets

Um dos assuntos mais discutidos no mundo atual é a preservação do planeta relacionado ao meio ambiente. De acordo com vários estudos, o mundo vem perdendo algumas propriedades importantes em relação ao clima. Muitos países estão sofrendo verdadeiros destemperos na temperatura comparado a anos anteriores. Para alguns cientistas, a tendência é desses desequilíbrios aumentarem, caso o homem não faça sua parte nesse controle.

Dentre vários motivos que estão acarretando esses ruídos, um dos mais sentidos e de fácil observação por qualquer pessoa é o acumulo de lixo. Tantos os componentes orgânicos como inorgânicos vem crescendo anualmente, acompanhando o crescente número de moradores no planeta. Associado a isso, a falta de um ensinamento correto sobre o que se jogar fora, processo de reutilização desses objetos está em escassez no mundo.

São poucos os cidadãos que tem esse ensinamento e o aplica diariamente em ações simples, como jogar um papel na lixeira correta. Mas sem tal conduta, vários exemplos negativos podem ser observados, desde o jogar de lixo como restos de móveis em córregos, até o abandono da higiene em recintos como o banheiro. Mexer nesse meio, ultimamente, se tornou uma ação importante e necessária para o bem do planeta.

Inúmeros materiais começaram a servir como objetos de estudo para traçar uma linearidade no tratamento do lixo. E nesse meio, várias propriedades foram diagnosticadas, o que acarretou no desenvolvimento da coleta seletiva e a primeira ação visando domesticar a população sobre o bem que a reciclagem faz para a humanidade. Essa iniciativa fez, como faz sucesso até hoje em regiões periféricas e centrais.

Porém, mais do que reorganizar o elo educacional existente no meio, esse processo acabou afetando no desenvolvimento de um novo pensamento associado a reciclagem, que é a criação de utensílios, baseando-se na reutilização de materiais. Essa ideia é abraçada até hoje por várias pessoas, tendo muito sucesso com alguns objetos, entre os principais se encontram os pallets.

Agir com naturalidade é ser do bem.

Espaço de lazer num parque aberto.

No mundo, a ideia de sustentabilidade vem cativando cada dia mais fãs, trazendo nessa convicção pessoas que rejeitavam a ideia, imaginando que ela funcionasse como um processo retroativo ao avanço da vida. E essa linha de pensamento é ainda mantida por muitas famílias no mundo todo. Boa parte delas considera que essa ideologia agrega sentimentos que possam “rebaixar” uma pessoa dentro da sociedade. Ou seja, não a aplica por ego.

Entretanto, algumas empresas do ramo da moda vêm desenvolvendo ideias que buscam modificar essa forma de pensar. Várias roupas estão sendo customizadas reutilizando plásticos de garrafas pet. Em outros casos, a decoração completa de uma casa está sendo elaborada com retalhos de pallets. Nos ambientes externos, tubos de PVC, ou canos de aço são utilizados para a construção de ambientes para crianças se divertirem.

A consciência dessa ideia está sendo associada e entendida aos poucos. Muitos lincam a palavra sustentabilidade ao meio ambiente de forma direta. Mas ela deve ser condicionada as ações que todos nós tomamos no dia a dia. Jogar lixo na lixeira é uma demonstração de sustentabilidade, comer de forma adequada é um meio sustentável, comprar somente o necessário para usar também faz parte do significado dessa simples e tocante palavra.

Pensamento quadrado, o mundo já sabe como é.

Represa sem água. Falta de Sustentabilidade.

Durante muitos anos, o planeta pensou no meio ambiente como um instrumento que o homem poderia usar de forma eterna e sem equilíbrio. Poucos tiveram a percepção que a natureza manda no homem, não vice-versa. Por muito tempo, a classe humana colocou como umas das premissas de vida conseguir dominar as forças da natureza, através de mecanismos traiçoeiros e individualistas.

A briga pela posse da água é um grande exemplo atual. No Brasil, a principal cidade do país, São Paulo, vem passando por uma verdadeira escassez aquífera. Um dos motivos que gerou esse grave problema foi a falta de cuidados que muitos políticos tiveram com a natureza. Leitos de represas foram tomados por residências clandestinas, a água teve má administração, a ponto do governador do estado, Geraldo Alckmin, não ter tido a coragem de falar a verdade, muito antes do ruído eclodir.

Essa mesma situação pode ser empregada em outros exemplos, como o excesso de asfaltamento em vários lugares das grandes cidades e a falta de conscientização do verdadeiro significado da palavra sustentabilidade. Enquanto houver o pensamento materialista sobre ser o melhor, dificilmente o mundo conseguirá diminuir esse problema tão grave.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *