Os Paletes e tua influencia na decoração domiciliar

paletes-no-jardim

Durante muitos anos, várias casas do Brasil foram construídas de maneira bem distintas das atuais. Entre as décadas de 40, 50 e 60, além do espaço interno, os domicílios tinham os famosos e grandes quintais como espaço de recreação para a família residente. Além da união, nesses lugares era possível construir uma família com mais tranquilidade e amor.

A maneira de enfeitar tais lugares variava de acordo com as condições financeiras que determinado grupo social nutria. Em alguns lugares, tais espaços eram compostos de brinquedos, bancos para sentar e um gramado baixo, propício para bons e leves sorrisos. Outros não tinham essas características, mas não deixavam de evidenciar a alegria que fazia parte desses espaços.

Nos dias de hoje, são poucas as casas de detém um grande espaço para relaxamento. A maioria das construções vem sendo concebidas no formato de sobrados, cada dia mais prensadas e diminutas, principalmente no campo da recreação. Mas existem ainda lugares onde tal essência permanece quando a pessoa deixa de comprar a casa pronta, adquirindo primeiro o terreno, para depois erguer o imóvel.

Esse número cresce anualmente, mesmo com a crise econômica que o Brasil atravessa. O planejamento de muitas famílias se estrutura nesse formato objetivo, mas agregador e confortante. Nesse processo, várias pessoas imaginam como será a planta de toda a casa, contando com os materiais de deverão ser utilizados. As ideias são infinitas.

Porém, um dos objetos mais usados na concepção de um domicilio, principalmente observando o campo recreativo, associando natureza com tranquilidade e enfatizando o termo sustentabilidade no espaço são os paletes.

Não é difícil copiar bons exemplos!

Mesa de Centro feita de Palete

Ao caminharmos num jardim botânico, conseguimos observar e sentir a essência da natureza bem próxima de nós, em meio a uma grande cidade, onde as condições ambientais, na maioria das vezes, são opostas. Várias famílias, ao passarem por recintos como esses, buscam trazer inspirações desses lugares e recriarem tais paisagens nos espaços recreativos de suas casas.

Quando entramos em um apartamento, por exemplo, é possível observar, com muita tranquilidade, diminutos espaços onde teremos plantas misturadas, ou uma grande exposição de quadros, bancos para se sentar, gaiolas de pássaros, tapete para gatos, estofados aos cachorros, entre outros detalhes.

Nas casas, o índice de objetos é maior, levando em consideração o tamanho que um ambiente desse tem, comparado ao recinto citado no parágrafo anterior. Nele podemos encontrar vários brinquedos, como escorregadores, cadeiras de balanço. Fora utensílios de profundo relaxamento, vide exemplo cadeiras, churrasqueira.

Os espaços de ambos os lugares podem diferir, mas ambos utilizam vários materiais parecidos em suas concepções, desde a formação de um simples jardim, até a construção de objetos maiores, como balanços e pisos naturais. Um dos principais que podem ser listados são os paletes.

 

Agir com Inteligência, algo que poucos empregam!

Estofados de Cinema feita de Paletes.

Para muitos, durante anos, os estrados de madeira eram usados, exclusivamente, para armazenar produtos de grande porte em espaços de estocagem. Depois disso, dificilmente ele era visto como uma forma de reutilização para outras atividades. A visão de reciclagem foi pouco aplicado durante muitos anos. Mas aos poucos, essa metodologia foi passando por grandes mudanças.

Vários paradigmas existentes para o seu uso começaram a cair por terra. Muitas ações começaram a ser tomadas tendo eles como protagonistas. Inúmeros objetos foram criados graças a sua reutilização, que ratificou a importância do processo de sustentabilidade para o desenvolvimento sadio do planeta.

Além dos paletes, nos dias de hoje, outros objetos são reutilizados para a construção de várias obras, como tubos de aço, PVC, plásticos, molas velhas, entre outros. Ratificando que o processo de reciclagem na estruturação de uma casa não só pode como deve ser aplicado nas construções atuais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *